Páginas

terça-feira, 10 de novembro de 2009

A NATUREZA ESPERA A NOSSA ATUAÇÃO!

Jamais discuto assuntos polêmicos, tais como política, esporte e religião. Respeito a todos e gosto de ser respeitada. Tenho minha própria visão destes assuntos, mas acho que dizem respeito a mim.
Entretanto, há um assunto que não consigo "deixar para depois". É a proteção à natureza. Não porque é o assunto do momento, todo mundo explora para aparecer e ter seus momentos de fama. Nasci e fui criada no meio de muitas flores, árvores, frutas, e gente que gostava de cuidá-las: minha avó, meu pai, tios e tias. Nossa casa tinha um jardim muito grande que eu curti até os 25 anos, quando me mudei de casa, para uma menor, que tinha um jardim pequeno, mas não menos bonito.
No pomar, do qual minha avó tinha o maior orgulho, havia abacateiros, goiabeiras, mamoeiros, pés de limão, laranja, lima e mexirica, pitangueira, um pé de romã - maravilhoso, um pé de limão capeta - que era o xodó de todos, que adorávamos aquele suco azedinho.
Mas a rainha das árvores era um grande pé de carambola! Uma fruta que até hoje me fascina, que quando cortada em tiras vira dezenas de estrelas enfeitando a travessa!
Como me lembro dos dias em que apanhávamos baldes de carambolas para fazer doce. E o cheirinho da fruta tomando conta, devagarinho, de todos os ambientes. As colheradas de doce, escondido, antes do almoço ou do jantar!!! Minha avó ficava muito brava!!!
Bom... me perdi nas lembranças e quase não falo sobre o assunto que queria abordar.
Muitos já conhecem esse grupo:



MOVIMENTO DE DEFESA DA NATUREZA! É um grupo criado no Flickr.com, por uma amiga muito especial, a Lana, ou Malatri - como é mais conhecida, e cuja história um dia, se ela permitir, eu vou contar.

A Malatri já morou no mundo todo, conhece alguns países como ninguém, interessa-se por tudo que diga respeito à vida, à arte, à natureza, aos animais e às plantas. Sensível como é, parece mais uma "fada das florestas" que uma pessoa comum. Mas ela não é mesmo comum. Isto é uma outra história, que se vocês quiserem saber mais terão que entrar no flickr.com, e ler o perfil dessa mulher gigante, dentro de um corpo não tão grande.

Ela própria nos conta um fato que vou resumir aqui:

"Quando vim para Taubaté, encontramos um paraiso não habitado no cume de um morro -uma casa colonial nunca utilizada, em estilo espanhol cercada de arvoredo e vegetação , construida por um agrônomo. (..) Compramos a casa e o lote que eram cercados de árvores e de animais silvestres de todas a espécies.

Anos depois sem meu marido e sozinha com duas crianças continuei no mesmo lugar pois eu já tinha uma vida acadêmica, trabalhando para a Universidade de Taubaté.

Anos depois um senhor casado com uma brasileira, fiscal, começou a construção de uma selva de pedra, um monumento arquitetônico moderno. Moramos nesta casa há 30 anos e ele começou a construção há mais ou menos 15 anos e mora direto aqui depois que se aposentou, há uns 7 anos. (...)

Ele recuou toda a construçao para a divisa com o terreno de meu lote -chacara como é chamada aqui. Eu sempre tomei conta das árvores a arbustos criando livrememte os animais e construindo um borboletário muito lindo, existem até borboletas em extinção que moram aqui.

(...)

Um belo dia, após meu divórcio, ele foi até o portao de minha casa e insinuou-se comigo, oferecendo sua ajuda o que causou-me indignação, pedi-lhe que se retirasse. Sempre fiz BOs nas delegacias e tenho prova de todas as maluquices que foram acontecendo após estas ameaças .

Ameaçou-me dizendo que ele era advogado, tinha recursos etc etc e que iria tomar as providencias dele.

Desde este dia ja fez outras queixas formais contra mim alegando que as minhas arvores sujam sua piscina e entopem as calhas e sujam o telhado etc etc pedindo as extinçao TOTAL da vegetação.

(...)

Já gastei uma soma enorme mesmo e continuo protegendo as arvores e animais da mesma maneira.

(...) o laudo diz que as árvores não causam danos à casa na parte estrutural mas que as folhas sim, nos telhados, calhas etc etc...então ele julga procedente eliminar todas as arvores e vegetaçao existentes no meu quintal numa faixa de cinco metros do muro divisório, ou seja quase todas as árvores adultas lá existentes .

(...)

Ele construiu a casa onde quis, da maneira que achou conveniente, ignorando a vegetação lá existente. Inclusive cortou todas as árvores existentes no seu lote antes da construção de sua residência, como tambem a vegetação de arbustos. Colocou o aquecimento solar na divisa com as árvores sendo que a devida residencia possui uma metragem considerável e outros lugares para abrigar o aquecedor".


Hoje fiquei sabendo que a Malatri perdeu a causa e tem 10 dias para recorrer.
Precisamos fazer alguma coisa. Muitas árvores serão cortadas, animais silvestres vão morrer, um borboletário maravilhoso vai ser perdido, inclusive com espécies em extinção.
Não podemos deixar que isto aconteça.
Vamos nos pronunciar. "Por a boca no trombone", como se diz. Publiquem em seus blogs, passem para os amigos, vamos nos movimentar.
Vou colocar no meu twitter e pedir a outros que o façam também.
Divulguem este endereço: http://flickr.com/people/mallatri

"Diga SIM para a preservação da natureza pois você é a própria!

Espero a cooperação de vocês! Bjks. Neli Alves

Um comentário:

  1. Neli querida, que belo texto em razão de uma causa tão sofrida por nossa amiga Eliana!

    Por favor divulgue o site, onde podemos fazer denúncias. Estou correndo estes dias com tantos compromissos!

    Obrigada pela ajuda amiga, a natureza, a Eliana e a saúde do planeta e a nossa mobilização por questões essenciais !

    Katia Esteves

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita.Deixe o seu recadinho e eu responderei.

IntenseDebate Comments - Last 5

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.